This site has been archived on
ISTweb You are here: Telematics / Libraries / Activities
This is the Telematics for Libraries ARCHIVE.
These projects were part of Framework Programme 4.
The pages are no longer maintained
Digicult Home CORDIS Home Supporting Pages: DE | ES | FR | IT
ACTIVITIES
Introduction
Projects
Support actions
Publications
BACKGROUND
Support documentation
Policy
Statistics
FOCUS
Public libraries
Music libraries
Distance learning
Metadata
Cⅇ
Software
CONTACTS
(email removed)
Test sites


As Bibliotecas Públicas e
a Sociedade da Informação - um estudo


Documento creado em 05 de Maio 1997

CONTEÚDO

1. Contexto, objectivos : a Sociedade da Informação necessita de bibliotecas

1.1 A biblioteca actualizada

2. O estado da arte : As bibliotecas públicas europeias estão a desenvolver-se a diferentes velocidades

3. Visão prospectiva : a biblioteca pública como peça fundamental na implementação local da Sociedade da Informação

4. Papéis fundamentais da biblioteca pública

5. Obstáculos: insuficiente sensibilização política, financiamento inadequado, falta de formação profissional e atitudes que não evoluem

6. Conclusões e recomendações - que deve ser feito?

6.1 Recomendações gerais - em especial para o desenvolvimento a nível nacional ou regional
6.2 Recomendações específicas a serem implementadas a nível europeu

La pagina em inglês sobre As Bibliotecas Públicas e a Sociedade da Informação


1. Contexto, objectivos: a Sociedade da Informação necessita de bibliotecas

O conhecimento é o factor competitivo crucial na sociedade da informação. A forma como lidamos com a informação será, portanto, cada vez mais importante à medida que a revolução digital vai afectando os nossos empregos e a nossa vida quotidiana.

Teremos de encarar estas alterações da melhor forma possível por razões económicas, democráticas e sociais. A Sociedade da Informação proporcionará novas oportunidades de progresso e permitirá aos cidadãos uma participação mais activa. No entanto, uma disparidade cada vez maior entre os info-ricos e os info-pobres poderá resultar em tensão social.

Por isso, é necessário adoptar algumas estratégias:

  • providenciar o acesso democrático a toda a informação publicada;
  • oferecer oportunidades de aprendizagem ao longo da vida;
  • garantir que os cidadãos saibam trabalhar com computadores e que tenham acesso ao equipamento e aos sistemas de que precisam;
  • salvaguardar a identidade cultural num mundo em rápida mutação.

As bibliotecas públicas, tradicionalmente, têm sabido dar resposta. E são mais de 40.000 em toda a União Europeia. Mas estarão elas preparadas para estes novos desafios?

A seu favor, temos:

  • os seus utilizadores que, em alguns países, somam mais de metade da população,
  • a sua forte tradição como centros locais de informação, e
  • o potencial das tecnologias da informação para bibliotecas.

De facto, as bibliotecas públicas mais dinâmicas da Europa já convenceram localmente os cidadãos e os políticos de que podem oferecer serviços eficientes em resposta às exigências da sociedade da informação.

No entanto, a maioria das bibliotecas públicas continuam desactualizadas. Para assumir o desafio, têm de redefinir o seu papel e estabelecer estratégias para exigências sempre em mutação.

O principal objectivo, no contexto da sociedade da informação, é o de providenciar, a qualquer pessoa, o acesso a qualquer tipo de informação, a qualquer momento e em qualquer lugar. A tecnologia já tem a capacidade de proporcionar as respostas, mas é necessário ultrapassar a dependência generalizada dos meios de comunicação tradicionais. Teremos, pois, de alargar as possibilidades oferecidas pelas bibliotecas em rede.

Mesmo que, durante muitos anos ainda, o livro permaneça o mais importante veículo da informação, as bibliotecas limitadas a material impresso descobrirão que estão cada vez mais atrasadas em relação àquelas que providenciam serviços modernos em rede, muitas vezes com um êxito impressionante.

1.1 A biblioteca actualizada

Neste estudo, o termo "biblioteca actualizada" é utilizado para descrever bibliotecas públicas que acompanham os serviços tradicionais, com novos serviços e tecnologias - tal como faz a maioria das bibliotecas Europeias.

Tem como base onze estudos nacionais, seis estudos de caso que descrevem exemplos inspiradores de boas bibliotecas e de cooperação regional e a pesquisa documental.

Os objectivos são a análise do que as bibliotecas públicas devem fazer para adaptar os seus serviços tradicionais e oferecer novos serviços, de forma a satisfazer as necessidades dos seus utilizadores no contexto da Sociedade da Informação.

2. O estado da arte: As bibliotecas públicas europeias estão a desenvolver-se a diferentes velocidades

Consideram-se três estágios:

  1. Automatização das rotinas internas, no sentido de proporcionar o acesso público ao catálogo em linha, como pré-requisito da próxima fase;
  2. acesso a bases de dados em linha para o pessoal e utilizadores, incluindo o acesso à Internet, conduzindo a
  3. disponibilizar serviços através da página Internet da biblioteca, que é acessível à distância.

Entre os Estados Membros, existe uma considerável diversidade no que respeita à 1ª fase, variando entre 20% e 100% as bibliotecas já informatizadas. Em alguns países, onde até metade das bibliotecas têm algum tipo de acesso à Internet, pode observar-se um claro movimento no sentido da 2ª fase. Noutros, isto é excepcional, assim como o acesso a CD-ROM. A nível europeu, uma pequena minoria de bibliotecas públicas oferece acesso à distância aos seus catálogos. Da mesma forma, são muito poucas aquelas que disponibilizam documentos electronicamente. Para acelerar a mudança neste domínio, o estudo descreve uma perspectiva baseada em exemplos inspiradores de bibliotecas públicas que se modernizaram.

3. Visão prospectiva: a biblioteca pública como peça fundamental na implementação local da Sociedade da Informação

A biblioteca pública actualizada oferece:

  • acesso ao conhecimento humano, independentemente da forma sob a qual foi registado;
  • uma colecção de material impresso e multimédia para empréstimo;
  • acesso a redes e apoio à navegação em rede e à pesquisa de informação;
  • postos de trabalho para utilizadores;
  • oportunidades de formação e aprendizagem aberta;
  • um espaço físico, proporcionando oportunidades de encontro;
  • serviços de disponibilização electrónica de documentos.

A biblioteca pública actualizada :

  • terá acesso a catálogos colectivos para empréstimo interbibliotecas e, a seu tempo;
  • fará parte de uma rede mundial de bibliotecas;
  • cooperará de perto com outras instituições de arquivo, com escolas e outros estabelecimentos de ensino;
  • será um fornecedor de informação à comunidade; e
  • oferecerá serviços especiais a grupos-alvo diversificados - desde informação comercial a serviços para minorias étnicas e deficientes visuais.

A biblioteca pública desenvolver-se-á de acordo com as necessidades locais. Dentro de uma determinada região, co-existirão diferentes bibliotecas, as quais - se houver coordenação entre elas - estarão aptas a fornecer uma grande variedade de serviços de biblioteca na respectiva zona.

4. Papéis fundamentais da biblioteca pública

Trata-se, pois, de perspectivar, de forma mais abrangente, a biblioteca pública como uma instituição que desempenha uma variedade de papéis fundamentais na implementação da sociedade da informação, a nível local, como:

  • um parceiro activo na salvaguarda da democracia, providenciando um acesso sem restrições a todo o material publicado,
  • um suporte da educação e da aprendizagem a todos os níveis, disponibilizando a matéria-prima do conhecimento, e relativamente aos anteriores,
  • um centro local de tecnologias da informação, providenciando o acesso a equipamento, sistemas e redes, dando aos cidadãos uma oportunidade para utilizar uma tecnologia nova e completamente muito disseminável, e
  • uma instituição cultural.

Se a importância da biblioteca pública actualizada é assim tão fundamental, por que razão não tem sido ela implementada mais amplamente? Quais são os constrangimentos? Como poderão ser ultrapassados?

5. Obstáculos: insuficiente sensibilização política, financiamento inadequado, falta de formação profissional e atitudes que não evoluem

As barreiras entre a situação existente e esta perspectiva são de dois tipos. De um ponto de vista externo, existe uma falta de consciencialização política ou de confiança no potencial da biblioteca pública para se orientar no sentido da Sociedade da Informação. Existe uma diferença evidente em termos de eficiência e de extensão dos serviços que oferecem desenvolvimento tecnológico, entre as bibliotecas públicas em países ou regiões com poder político e em regiões que o não têm. Da mesma forma, poderá haver falta de planos concretos para a interconexão de redes, falta de financiamento e de assistência técnica adequada para implementar novas tecnologias.

Internamente, os obstáculos estão relacionadas com o desenvolvimento profissional. As aptidões são inadequadas em resultado da formação obsoleta ou da falta de educação contínua e de oportunidades de aperfeiçoamento. Exige-se, assim, uma estratégia profissional para o desenvolvimento a nível nacional, regional e institucional. Por vezes, esta estratégia não existe como consequência de uma gestão inadequada, da relutância em adoptar os novos media, do receio da mudança e de um índice muito baixo de recrutamento para as bibliotecas de pessoal devidamente habilitado em tecnologias de informação.

6. Conclusões e recomendações - que deve ser feito?

Para utilizar adequadamente o seu potencial, cada biblioteca pública deve, portanto, definir planos estratégicos para estabelecer novas aptidões e para a modificação de atitudes, assim como colocar novos e melhorados serviços ao dispor do cidadão. Há também necessidade de disponibilizar um apoio considerável em termos de formação, educação e desenvolvimento.

6.1 Recomendações gerais - em especial para o desenvolvimento a nível nacional ou regional

Recomendamos acções em duas áreas:

6.1.1 Políticas e estratégias

  • Cada país deve formular uma política nacional de bibliotecas públicas, em áreas fundamentais, como o empréstimo interbibliotecas e de interconexão em rede.
  • A política nacional de informação deve garantir o reconhecimento do papel das bibliotecas públicas.
  • Devem desenvolver-se estratégias locais, regionais e nacionais para implementação de novos serviços e de assistência técnica.

6.1.2 Melhorar aptidões: necessidade urgente de programas actualizados de formação

  • Deve assegurar-se a disponibilidade e aproveitamento de uma variedade apropriada de possibilidades de educação e formação profissional continuadas;
  • Deve encorajar-se, de forma veemente, uma cooperação mais estreita entre bibliotecas de diferentes tipos - sobretudo entre bibliotecas públicas e universitárias - e com outras instituições.

6.2 Recomendações específicas a serem implementadas a nível europeu

A responsabilidade da biblioteca pública local situa-se ao nível da respectiva comunidade. A nível europeu, serão úteis as iniciativas que apoiem as políticas nacionais, regionais e locais. Recomendamos acções em quatro diferentes domínios: acções concertadas e estudos sobre políticas e planeamento, iniciativas para melhorar conhecimentos e competências; estudos e projectos de desenvolvimento de novas ferramentas.

6.2.1 Acções concertadas, estudos sobre políticas e planeamento, implementação de novos serviços

Recomendamos acções nas seguintes áreas:

  • acções concertadas para desenvolver planos de alteração das prioridades políticas, desenvolver políticas nacionais e, como consequência, atrair maior financiamento, de modo a que todas as bibliotecas possam começar a atingir níveis adequados de desenvolvimento telemático;
  • estudos de caso inspiradores em termos de desenvolvimento, desde a perspectiva de definição de políticas à criação de novos serviços; * estudos ou projectos sobre a relação entre a nova tecnologia, os novos serviços e a mudança de padrões organizativos e de estruturas administrativas;
  • estudo sobre o impacto da biblioteca pública nas suas diversas funções e papéis;
  • iniciação de projectos-pilotos referentes a novos serviços;
  • difusão de conhecimentos sobre os desenvolvimentos das novas tecnologias.

6.2.2 Desenvolvimento ou apoio à educação e formação contínua

  • programas de ensino à distância;
  • programas de auto-aprendizagem;
  • formação de formadores a nível europeu;
  • um centro europeu de formação.

6.2.3 Estudos e projectos de desenvolvimento de novas ferramentas e novos serviços

  • um estudo sobre o desenvolvimento contínuo das estruturas administrativas e organizativas;
  • um estudo sobre custos;
  • um estudo sobre os níveis adequados de serviços a fornecer pelos diversos tipos de bibliotecas públicas;
  • projectos de novos modelos baseados em serviços em rede para pequenas bibliotecas públicas;
  • projectos para desenvolver novas ferramentas e serviços a implementar de acordo com as necessidades locais: ferramentas para formação de utilizadores, para consulta de informação, para promoção baseada nas novas tecnologias;
  • concepção universalista que proporcione o acesso a diferentes tipos de utilizadores;
  • acção prioritária do bibliotecário - organização e apresentação de informação multimédia para as redes.

6.2.4 Estimular o mercado de produtos telemáticos

  • Estabelecimento de uma acção concertada como apoio a uma plataforma de fortalecimento do diálogo entre as bibliotecas públicas e os fornecedores de sistemas.

A estas sugestões concretas, acrescentamos a necessidade de financiamento. Uma fonte europeia de financiamento é altamente desejável e seria muito útil para acelerar a mudança nas bibliotecas públicas.

Conteúdo

Principio do documento

This page is maintained by (email removed)
ISTweb Search ISTweb EC home FP5 home Disclaimer
IST news More links DG Information Society IST calls Back to top