Skip to main content

Organic Knowledge Network on Monogastric Animal Feed

Article Category

Article available in the folowing languages:

Partilha de conhecimentos e técnicas entre as explorações biológicas da Europa

Os setores europeus da carne e dos produtos lácteos dependem, em grande medida, das importações de produtos à base de soja para a alimentação animal. Uma base de dados exclusiva está a ajudar os agricultores biológicos a transitar para uma alimentação animal 100 % biológica.

Food and Natural Resources

Todos os anos, a UE importa cerca de 14 milhões de toneladas de soja para alimentar galinhas, porcos e gado bovino. Tal representa um desafio específico para os produtores biológicos, que desejam evitar os problemas ambientais e de sustentabilidade associados à produção estrangeira de soja, como a desflorestação tropical. O projeto OK-Net EcoFeed (Organic Knowledge Network on Monogastric Animal Feed), financiado pela UE, estudou fontes alternativas de alimentação animal rica em proteínas que contribuirão para reduzir a dependência da Europa em relação às importações de proteínas para a alimentação animal.

Ideias pioneiras

«Estamos a difundir a inovação por toda a Europa», afirma Ambra De Simone, coordenadora do projeto. «O nosso objetivo é criar uma rede de partes interessadas, reunir os conhecimentos existentes e destacar as soluções que poderão ser úteis em todas as regiões.» O projeto, coordenado pelo Grupo Regional da União Europeia da Federação Internacional de Movimentos de Agricultura Biológica (IFOAM Organics Europe), reuniu um consórcio de 18 parceiros de 12 países. Entre estes, figuram produtores de alimentos para animais, agricultores, institutos de investigação, universidades e agências de consultoria. Durante o OK-Net Arable, o projeto predecessor financiado pela UE, foram produzidas e disponibilizadas aos agricultores centenas de páginas de material através da plataforma Organic Farm Knowledge (OFK), a fim de identificar possíveis soluções para aumentar as suas colheitas. «A transição para a alimentação animal era o passo óbvio seguinte», acrescenta De Simone. A plataforma OFK concede um acesso intuitivo a um vasto leque de instrumentos e recursos práticos, que incluem ficheiros de áudio, livros, relatórios, brochuras, diretrizes e vídeos, e promove o intercâmbio de conhecimentos entre agricultores, consultores agrícolas e cientistas. Durante o projeto OK-Net EcoFeed, a plataforma foi ampliada de modo a incluir materiais sobre alimentação animal sustentável. «Uma das principais tarefas pendentes era averiguar o que funcionava numa região e adaptá-lo de forma a que funcionasse noutra região», explica De Simone. «Numa primeira fase, procedemos à recolha de informações sobre todos os sistemas existentes. Depois, os investigadores estudaram os que poderiam ser aplicados em diferentes regiões.»

Sugestões de apresentação

O projeto realizou 18 ensaios no terreno com alimentos alternativos para animais, envolvendo mais de 9 000 galinhas e 1 000 porcos. «Um dos principais problemas da produção biológica é a disponibilidade de proteínas», acrescenta De Simone. «A maior parte dos alimentos para animais são à base de soja e não são sustentáveis para a produção biológica, pelo que tentámos encontrar fontes alternativas de proteína.» Uma destas alternativas foi a «Camelina sativa», uma oleaginosa parente da linhaça, que foi estudada pelos investigadores da Associação Italiana para a Agricultura Biológica (sítio Web em italiano) (AIAB). Em Espanha, a Ecovalia (sítio Web em espanhol) utilizou a levedura de cerveja, que é rica em proteínas, como suplemento alimentar para porcos. O consórcio desenvolveu ainda um instrumento de planificação de rações. Trata-se de uma aplicação baseada em Excel que permite aos agricultores calcular as suas próprias necessidades de alimentos para animais em função da raça dos animais que possuem, da sua fase de desenvolvimento e do tipo de alimentação que utilizam. «Este é o único software gratuito que responde de forma adequada às necessidades dos produtores de animais biológicos», afirma De Simone. «Os cálculos são independentes dos da indústria da alimentação animal e são adaptados às condições específicas da agricultura biológica.» O grupo está agora à procura de financiamento suplementar para continuar com o desenvolvimento e a manutenção da plataforma OFK, que contém informações específicas sobre mais de 2 000 soluções agrícolas. «Tudo começou com as culturas arvenses e a alimentação animal, mas há muitos outros projetos a aderir», conclui De Simone. «Queremos que esta seja a plataforma de referência da UE para o intercâmbio de conhecimentos sobre agricultura biológica.»

Keywords

OK-Net EcoFeed, soja, oleaginosas, proteínas, alimentação animal, galinhas, gado bovino, porcos, biológico, exploração agrícola, conhecimentos, plataforma

Discover other articles in the same domain of application